English version
  • O Projeto
  • - Introdução

    + Carlos Alberto Figueiredo

    + Aspectos tecnológicos

     

  •  

  • Introdução

    É imensa a quantidade de música sacra e religiosa produzida pelos compositores brasileiros dos séculos XVIII e XIX. Os arquivos em várias regiões do país estão repletos de manuscritos, autógrafos e cópias, testemunhas dessa enorme produção, que permanece, em sua grande parte, desconhecida. Mesmo um levantamento do conteúdo de todos esses arquivos ainda não foi feito. Algumas iniciativas individuais e institucionais geraram alguns catálogos, temáticos ou não, que nos permitem ter uma visão parcial da nossa música do passado, com destaque para a música sacra e religiosa[1].

    Para que essa música seja conhecida, executada, gravada e analisada é preciso que ela seja editada e publicada, já que o acesso aos manuscritos, em vários aspectos, é muito difícil. Cópias modernas conseguiram preencher algumas lacunas, mas têm, necessariamente, pouca circulação. É possível constatar, empiricamente, que o movimento editorial em nosso país ainda é muito incipiente e não dá conta dessa imensa riqueza de manuscritos, com música de todos os tipos. Não só a quantidade de publicações não é grande, como se esgotam rapidamente, além de terem distribuição restrita. Os músicos, ávidos por material para execução estão sempre se perguntando: o que existe? Onde está o que existe?

    O Catálogo de Publicações de Música Sacra e Religiosa Brasileira - Obras dos séculos XVIII e XIX enfoca compositores nascidos no Brasil, englobando também aqueles que, tendo nascido em outras áreas geográficas do mundo, desenvolveram suas atividades no Brasil. Um caso especial são compositores com breve atuação em terras brasileiras, como é o caso de Sigismund Neukomm, representado por suas obras que tenham sido executadas em nosso país, como é o caso da Missa Solemnis, de 1816 (CMSRB-097/023).

    O nosso interesse está nas obras compostas nos séculos XVIII e XIX. Se na maior parte dos casos essa delimitação não foi um problema, tivemos que lidar, entretanto, com os casos de compositores cujo período criativo atravessou do século XIX para o XX. Na medida em que conseguimos datar a composição de obras desses compositores ainda dentro do século XIX ou primeiros anos do século XX, elas foram incluídas no CMSRB.

    Outra delimitação importante diz respeito às características do repertório, exclusivamente voltado para o repertório sacro e religioso católico, litúrgico e paralitúrgico: missas, ofícios, novenas, orações, etc.

    Foram consideradas publicações feitas no Brasil e no exterior, com edições estabelecidas por pesquisadores brasileiros e estrangeiros.

    Só foram consignadas no CMSRB as publicações às quais tivemos acesso efetivamente. Catálogos de firmas publicadoras e mesmo catálogos de bibliotecas apontam para a existência de mais publicações, mas que, infelizmente, ainda não conseguimos localizar. É possível que numa fase posterior, incluamos no CMSRB essas publicações, dentro da rubrica "Não-localizadas". É uma forma de estimular futuras pesquisas.

    O formato digital permitirá a permanente atualização dos dados, já que novas descobertas serão certamente feitas, além do fato de que novos projetos em andamento lançarão novos títulos no mercado.

    Além disso, a disponibilização na Internet permite o acesso gratuito ao conteúdo do CMSRB a pesquisadores de todas as partes do Brasil e do mundo.

     

    [1]Barbosa, Elmer, 1979; Duprat, Régis, 1991; Mattos, Cleofe Person de, 1970; Arquivo Público do Estado do Maranhão, 1997; Nogueira, Lenita Waldige Mendes, 1997, entre outros.

     

  © Carlos Alberto Figueiredo

www.000webhost.com